“Eu sou negra, a fome é amarela e dói muito”: A ausência de Carolina Maria de Jesus